Economia

Economia Local

A economia de Viseu tem sua base, na pesca, Agricultura, Pecuária e Extrativismo, longe se ser uma economia forte e sustentável, mais vem crescendo nos últimos anos, mesmo sem receber o apoio e incentivo necessário para o seu crescimento.
Agricultura: A agricultura local ainda é fraca, 90% ainda é agricultura de subsistência, apenas 10% tem destino comercial. Isso ocorre por vários fatores: falta de investimento tecnológico e financeiro o fortalecimento das entidades e associações ligadas a essas atividades. O Município já foi considerado o maior produtor de arroz de várzea, hoje o IBAMA está proibindo o cultivo, alegando a preservação ambiental e isso tem feito à produção cair ano a ano, porque com a proibição os Bancos Oficiais deixaram de conceder financiamento.
A mandioca é uma cultura de pouca lucratividade, devido a grande extensão do município e a falta de estrada para escoamento de produção, sendo a mandioca transformada apenas em farinha para o consumo do próprio município. O que mais se destaca na agricultura é o cultivo do feijão Calpi.

Extrativismo: Esta atividade da economia Viseuense que cresceu muito por varias razões e umas delas é a grande diversidades de espécies existente na região, dando ao colono varias opção para o extrativismo. Os produtos extrativos vegetais têm grande importância econômica e social, para o município, merece destaque o bacuri, murici, cupuaçu, buriti, o açaí. Hoje a procuras dessas frutas tropicais e típicas da região é muito grande, e exige que o município invista em sua produção e em sua preservação. O cupuaçu o bacuri e o açaí já se tornaram produtos agrícolas e tem destino certo nas indústrias de alimento, doces e sorvetes.
Outra parte do extrativismo que cresce é a de sementes coletadas na mata por famílias dos colonos, tem como finalidade a farmácia caseira e a popular, outras sementes como da Andiroba e bacuri, já tem destino na indústria de cosmético

Pesca: A pesca no município de Viseu ainda 95% é artesanal e a captura é acidental, é uma pesca de subsistência, dependendo com exclusividade da sorte: isto é se o pescador tiver sorte ele vende se não apenas come o que pescou, mais já temos alguns barcos pesqueiros, na pesca da pratiqueira, serra e pescada amarela.Muitos desses pescadores transformam seus familiares em marisqueiros, na extração e captura do caranguejo, mexelhão.
Outra atividade muito concorrida é o de capturas de camarão, a produção de camarão abastece o mercado local e a Capital do Estado, Belém: os de menores que são de valor são vendido no mercado local.

Pecuária: Em Viseu essa atividade é forte, porem ainda falta o uma melhor seleção na hora do financiamento, hoje os financiamentos estão vinculados aos grandes correntistas do Banco financiador, essas pessoas compram terras com a finalidade de especular junto aos Bancos oficiais os financiamentos e incentivos oferecidos pelo Governo, política dos financiamentos deveria oferecer facilidades para as pessoas que moram e trabalham em suas terras, hoje o município tem grandes pecuaristas, mas existe 10 vezes menores criadores que tem entre 1 e 10 cabeças e são pessoas que com o devido incentivo traz prosperidade e divisas para o município Hoje o rebanho